Pedro se compadece com estudante assassinada, mas se calou quando Rodolpho assassinou Diogo

Uma das coisas mais lamentáveis que se pode fazer na política é tirar proveito dá desgraça alheia. Basta um assassinato, uma tragédia ou até mesmo um acidente,...

Uma das coisas mais lamentáveis que se pode fazer na política é tirar proveito dá desgraça alheia. Basta um assassinato, uma tragédia ou até mesmo um acidente, para que surjam os aproveitadores de plantão para tirar uma lasquinha em benefício de si próprio ou tentar usar o episódio para atacar adversários. O assassinato da estudante universitária no bairro de Tambiá é um fato lamentável sob qualquer ângulo. O Estado tem que dá respostas e a população tem todo direito de cobrar mais segurança. Agora usar o fato para tirar proveito político como fez o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) é inadmissível. Pedro foi às redes sociais se compadece do caso e criticar o governo pela insegurança. Alguém pode me advertir de que é papel do deputado como cobrar o Poder Executivo quando este falha e é mesmo. Agora essa cobrança não pode ser seletiva. Não me lembro, por exemplo, do excelentíssimo deputado cobrando justiça pela morte do agente de trânsito Diogo, assassinado pelo amigo de sua família, Rodolpho Carlos da Silva. Tenho certeza que a vida da estudante vale o mesmo que a vida do agente e os dois assassinos tem que ser punidos severamente. Eu não quero crer que o deputado pense diferente.

Fonte: Marcos Wéric

Neste artigo

Participe da conversa