Barbosa sai em defesa de Lira

O deputado Ricardo Barbosa (PSB) ocupou nesta terça-feira a tribuna da Assembleia Legislativa para condenar o que considerou “ataques infamantes, virulentos e degradantes” do deputado Anísio Maia...

O deputado Ricardo Barbosa (PSB) ocupou nesta terça-feira a tribuna da Assembleia Legislativa para condenar o que considerou “ataques infamantes, virulentos e degradantes” do deputado Anísio Maia dirigidos ao senador Raimundo Lira.

Para Barbosa, Anísio abusou nos insultos, chegando a comparar o senador ao ex-deputado e hoje presidiário Eduardo Cunha. “Uma ofensa vil e desnecessária, notadamente em se tratando de um dos mais respeitáveis homens públicos desse país”, criticou.

“Não irei, aqui, me manifestar quanto às motivações da malfadada e injusta declaração do Deputado Anísio Maia, até porque elas são de todos sabido: o impeachment da ex-Presidenta Dilma pelo Congresso Nacional. Culpar o Senador Lira por esse fato ou enquadrá-lo na vala ou sarjeta da corrupção é absolutamente intolerável”, continuou.

Barbosa enfatizou a “irretocável biografia política” do senador paraibano e sua “invejável e inatacável” trajetória de empresário. “Dele, nunca se ouviu falar, nem na vida pública, tampouco na privada, de absolutamente nada que desabonasse ou maculasse a sua longeva história de vida. O fato de ter sido ele o Presidente da Comissão que julgou o impedimento da Presidenta Dilma não o transforma num corsário dos cofres públicos, num político abominável ou corrupto. Contrariamente, a imparcialidade, isenção, retidão de conduta na condução daqueles trabalhos, o fizeram merecedor, sim, de elogios de toda a grande imprensa, dos diversos partidos políticos com assento naquele Congresso, inclusive, o seu próprio PT”.

Ele ainda lembrou das ações e das várias liberações de recursos federais para o Estado e para os municípios paraibanos orquestradas por Lira, a exemplo de R$ 50 milhões empenhados nos últimos três para quase uma centena de cidades. E do Pet Scan de R$ 5,5 milhões adquiridos junto ao Ministério da Saúde para o Hospital Napoleão Laureano. “Sem falar das lutas junto a Tesouro Nacional para liberação dos empréstimos contratados pelo Governo do Estado junto ao Governo Federal”.

E concluiu com uma alfinetada: “Lamento não me sobrar tempo nessa quadra para argumentar sobre o malfadado Seguro Defeso no Brasil e, em especial, aqui na Paraíba. Aliás, matéria do Fantástico do último domingo”.

Fonte: Assessoria

Neste artigo

Participe da conversa