• Turismo de Conde começa a colher frutos da boa gestão

    Ano passado escrevi sobre as incompreensões que a prefeita de Conde, Márcia Lucena, estava enfrentando e ainda teria que enfrentar por está colocando em curso uma nova...

    Ano passado escrevi sobre as incompreensões que a prefeita de Conde, Márcia Lucena, estava enfrentando e ainda teria que enfrentar por está colocando em curso uma nova maneira de administrar e de fazer política, principalmente num município acostumado com uma maneira tão arcaicada de administrar e de fazer política. E conclui que, pelo que está sendo feito naquele município, tanto pela prefeitura, quanto pelo governo do Estado, se persistisse e não recuasse, Márcia e o Conde, colheriam frutos profícuos.

    Esses frutos começaram a ser colhidos ainda ano passado, pois o cenário de terra arrasada encontrado começou a mudar e onde tinha pagamento atrasado, agora tem salário em dia; onde não tinha médico, agora tem; onde tinha desorganização e sujeira, agora tem acessos, praças e calçadinha.

    Mas, o ponto forte da economia de Conde também começou a colher os frutos dessa reorganização administrativa e política. O turismo da cidade passou a outro patamar, literalmente. É que o Ministério do Turismo divulgou recentemente a nova lista de categorização dos municípios que compõem o Mapa do Turismo Brasileiro e o Conde que até ano passado estava na categoria “C”, passa a categoria “B”. A categorização é um instrumento de extrema importância que acompanha o desempenho da economia do turismo. Nesse acompanhamento são avaliados o aumento no número de empregos, a ampliação dos estabelecimentos formais de hospedagem e o fluxo de visitantes brasileiros e estrangeiros.

    Se o Conde já tinha um dos mais belos e diversificados litorais do Brasil e uma gleba de empresários e nativos empreendedores que levaram a cidade a ter o segundo maior parque hoteleiro do Estado (em número de leitos) e agora tem uma gestão organizada e focada nos resultados, logo logo, a Costa de Conde, deixará de ser rota, para ser destino turístico.

    Neste artigo

  • Participe da conversa