• Jampa Digital e a montanha que pariu um rato

    A oposição ao governador Ricardo Coutinho (PSB) aposta todas as fichas na justiça para tentar assimilar um discurso que consiga fazer frente a aprovação e o desempenho do...

    A oposição ao governador Ricardo Coutinho (PSB) aposta todas as fichas na justiça para tentar assimilar um discurso que consiga fazer frente a aprovação e o desempenho do governo. Por enquanto vai acumulando derrotas também no terceiro turno, com raras exceções quando a “oposição” não é política, mas parte de outros órgãos como o Tribunal de Justiça da Paraíba.

     

    O caso Jampa Digital é tido como aquele que teria um poderio explosivo. A oposição aguardava com ansiedade, por exemplo, o julgamento do caso no Tribunal de Contas do Estado. Uma expectativa muito grande foi criada pelos oposicionistas, até outdoor articularam. Ao final do julgamento hoje, a decepção deve ter sido geral, pois na verdade a montanha pariu um rato.

     

    O nome de Ricardo Coutinho foi praticamente ignorado no julgamento e aquilo que a oposição esperava que pudesse até liquidar o governador.

     

    Para não dizer que o saldo foi totalmente positivo para o governo e para o governador, uma multa de R$ 355 mil para o ex-secretário de Administração do município de João Pessoal, o atual procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, ainda sim, questionado veementemente por ele, que inclusive apresentou documento do próprio TCE-PB, que o inocentaria.

     

    Gilberto alega que apenas foi responsável pela licitação, que foi inclusive aprovada pelo TCE, à época, conforme acórdãos por ele exposto. “Não executei um centavo do convênio, que ficou a cargo à época da secretaria de Ciência e Tecnologia, que tinha a frente Aguinaldo Ribeiro e Paulo Badaró (in memorian), secretário e Executivo municipal de Ciência e Tecnologia, respectivamente”.

     

    Gilberto disse ainda que quando deixou a prefeitura em 2010, o projeto estava funcionando normalmente. “Se por alguma razão depois não mantiveram os pagamentos à empresa e a manutenção não foi executada, como pode essa responsabilidade ser atribuída a mim? Quiseram encontrar um culpado e jogar a culpa para mim. Recorrerei, posso garantir”, finaliza.

     

     

    Neste artigo

    Participe da conversa