• Vereador nega “familismo” na chapa de oposição: “prefeitos querem entregar o bastão a alguém do entorno”

    É difícil rebater a critica de “familismo” na formação da chapa oposicionista. Afinal, o candidato a governador é irmão gêmeo do prefeito da Capital e a candidata...

    É difícil rebater a critica de “familismo” na formação da chapa oposicionista. Afinal, o candidato a governador é irmão gêmeo do prefeito da Capital e a candidata a vice é mulher do prefeito de Campina Grande. Fora o parentesco com prefeitos, os dois tem em comum a falta de experiência administrativa e política que justifique as indicações. Então, os aliados estão com dificuldade para tentar afastar o critério parentesco para justificar a formação da chapa.

     

    Primeiro foi o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) que justificou a escolha da vice, afirmando que Micheline “é a parceira de Romero desde dentro de casa”.

     

    Hoje  foi o vereador de João Pessoa, Lucas de Brito, que ao rebater a crítica de familismo, acabou a reforçando. Segundo ele, os prefeitos “resolveram entregar o bastão de seus projetos, e da forma de fazer política, para pessoas que estavam no seu entorno e no dia a dia”.

     

     

    Neste artigo

  • Participe da conversa