• MPPB e Polícias fazem operação em Patos sobre denuncias da primeira licitação da gestão de Dinaldinho

    O Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB), em conjunção de esforços com o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte...

    O Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB), em conjunção de esforços com o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (MPRN), Polícia Civil do Estado da Paraíba(PCPB) e Polícia Militar do Estado da Paraíba (PMPB), deflagraram, na manhã desta quinta-feira (02/08/2018), a etapa paraibana da operação “Cidade Luz”.

    A operação foi autorizada pelo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba e estão sendo cumpridos 16 mandados de busca e apreensão em diversos locais de Patos-PB e João Pessoa-PB. Também foi decretada a prisão preventiva de um dos investigados.

    A investigação aponta o pagamento de propina e a existência de superfaturamento no contrato emergencial de iluminação pública firmado pela Prefeitura Municipal de Patos-PB no ano de 2017, com o envolvimento de agentes políticos, servidores comissionados e as empresas Enertec e Real Energy Ltda.

    Há também provas de participação de outras empresas no fornecimento de propostas pré-ajustadas para a Concorrência Pública nº 01/2017, naquele município, ou seja a primeira do prefeito Dinaldinho Wanderley do PSDB, eleito em 2016.

    Quanto ao núcleo composto por agentes políticos e servidores comissionados, foi identificado o pagamento de propina por meio de mecanismos de lavagem de capitais.

    Os fatos ainda estão sob apuração e, posteriormente, novos esclarecimentos serão prestados à população.

    Neste artigo

  • Participe da conversa