• A síndrome de “La Casa de Papel”

    A Paraíba é diferente. Tem coisas que só acontecem aqui. Certas circunstâncias que ocorrem no nosso Estado se forem contadas para quem é de fora, ninguém acredita....

    A Paraíba é diferente. Tem coisas que só acontecem aqui. Certas circunstâncias que ocorrem no nosso Estado se forem contadas para quem é de fora, ninguém acredita. Essas particularidades, geralmente (quase 100%) têm raízes na politicagem aqui praticada.

     

    A última peculiaridade gerada por essa politicagem barata envolve a exitosa ação policial que culminou com a desarticulação e prisão de parte de uma quadrilha especializada em explosões a bancos e assaltados a carros-fortes pelo Brasil a fora e a apreensão de um verdadeiro arsenal composto por cinco fuzis, 4 deles calibre 762 e um calibre .50, e ainda uma carabina .30, além de 4 pistolas 9mm.

     

    É que apesar de a Polícia Militar da Paraíba ter conseguido prender quatro elementos de alta periculosidade e apreender todas essas armas, inclusive uma .50, isso depois de identificar o esconderijo dos meliantes, cercar a área, trocar tiros com grupo e prendê-los, sem matar nenhum, como defende muitos carniceiros…

     

    Bem apesar de tudo isso, ainda teve gente a questionar o trabalho da nossa briosa. Teve quem quisesse minimizar a ação cinematográfica dos policiais a um simples golpe de sorte. E teve ainda quem sentisse pena dos bravos policiais paraibanos, que encurralaram e fizeram pedir arrego um bando acostumado a explodir, fazer cidades  refém e matar, quando alguém ousa topar pelo caminho deles.

     

    Após alguns minutos matutando o que poderia “justificar” tais atitudes, não conseguir encontrar outra explicação a não ser a que essas pessoas desenvolveram uma síndrome, um tipo de doença ainda sem explicação, mas que pode ser chamada da “Síndrome de La Casa de Papel”.

     

    Quem assistiu a série espanhola se pegou lutando contra o sentimento de torcer pelos bandidos que invadiram a Casa da Moeda da Espanha, envolvido pela trama que reunia personagens interessantes entre as vítimas e os bandidos.

     

    Aqui, a única que trama que envolve a “Síndrome de Lá Casa de Papel”, a velha política do quanto pior, melhor.

     

    Viva a Polícia Militar da Paraíba, formada em sua esmagadora maioria por homens e mulheres de bem, verdadeiros guerreiros.

    Neste artigo

  • Participe da conversa