• Mudanças de Cartaxo: investigado na Operação Irerês é rebaixado, mas permanece na gestão

    Um dos principais alvos da Operação Irerês, deflagrada pela Polícia Federal, para apurar o desvio de mais de R$ 10 milhões nas obras da Lagoa do Parque...

    Um dos principais alvos da Operação Irerês, deflagrada pela Polícia Federal, para apurar o desvio de mais de R$ 10 milhões nas obras da Lagoa do Parque Sólon de Lucena, sobreviveu a reforma administrativa promovida pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV). Porém, Cássio Andrade, ex-secretário de Infraestrutura, que já foi um dos principais auxiliares do alcaide, acabou sendo rebaixado a função de coordenador.

     

    Cássio será substituído pela sua adjunta, Sachenka da Hora, e passa a ocupar a Coordenadoria do Centro Histórico.

     

    A Polícia Federal chegou a pedir a suspensão da função pública do auxiliar de Cartaxo, sob a justificativa de que ele poderia atrapalhar as investigações destruindo provas e intimidando testemunhas.

     

    Cássio Andrade é um dos personagens centrais da investigação que apura o desvio de recursos nas obras da Lagoa, levantado primeiro pela Controladoria Geral da União, depois do Ministério Público Federal e Polícia Federal.

     

    Ele é concunhado do dono da empresa Compecc que realizou a obra e sua esposa é funcionária da Caixa Econômica Federal e liberou pagamentos para a Compecc. A oposição denunciou trafico de influência.

    Neste artigo

  • Participe da conversa