15
Jul
2017

21:00

Até quando a bancada da Paraíba vai ignorar o Porto de Cabedelo?

Ontem tive a oportunidade de entrevistar a presidente da Companhia Docas da Paraíba, Gilmara Timóteo, que desde de 2015, comanda a Companhia, que por sua vez, é quem administra o Porto de Cabedelo. Confesso, fiquei surpreso com os investimentos e avanços que nosso porto vem conquistando, mesmo em tempos de crises. Mas, ao mesmo tempo, fiquei decepcionado com o tratamento que vem sendo dispensado pelos nossos deputados federais e senadores, ao equipamento.

 

Antes de chegar na falta de apoio dos nossos políticos ao nosso gigante, vou historiar alguns fatos que me foi passado pela competente Gilmara. Aliás, a falta de apoio da bancada paraibana ao porto foi alvo de uma nota do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado da Paraíba (Sindipetro), que classificou como descaso, a atuação dos parlamentares em relação ao Porto.

 

Para se ter uma ideia, há dez anos que nenhum navio entra ou sai do porto após às 17h, por falta de sinalização adequada, o que implica num aumento do custo de operação, já que se um navio chegar ao porto após às 17h, tem que esperar amanhecer o dia para poder atracar. Do mesmo modo, se a operação terminar no início da noite, há de esperar amanhecer o dia, para que a embarcação deixa o cais. Isso vai acabar nos próximos dias, já que 16 novas e modernas boias estão sendo instaladas no canal de acesso e vai permitir operação 24 horas por dia.

 

Outra informação revelada pela comandante do Porto, é que uma improvisação existente também há anos, está com os dias contatos. Para atracar com segurança, os práticos (profissionais que levam os navios pelo canal de acesso até o cais) tinham que ter atenção redobrada e usar ao máximo suas habilidades para evitar avariar o navio, já que a proteção entre o casco e a estrutura do porto era feita com pneus, isso mesmo, pneus. A partir de agora, os equipamentos adequados (as defensas) também estão sendo implantadas.

 

Além disso, o Porto de Cabedelo surpreendeu a Petrobras a apresentar em tempo recorde, todos os estudos de viabilidade para uma nova operação, que também deve iniciar nos próximos dias. O Porto de Cabedelo se tornará polo de distribuição de combustíveis, com a implementação do sistema operacional chamado Ship to Ship. Esta operação compreende na atracação de dois navios em um mesmo berço, transferindo por operação até 50.000 toneladas de derivados de petróleo entre eles. Ou seja, um navio maior atraca e em seguida um menor também. É feita a transferência do combustível direto do maior para o menor e este último segue viagem para outro porto.

 

Enfim, para não me estender ainda mais, o que falta apenas para que o Porto de Cabedelo possa enfim ser o condutor de desenvolvimento que a Paraíba precisa, a partir de Cabedelo, é de empenho da nossa bancada federal junto ao governo federal com liberação de emendas e com gestão para atendimento de outros pleitos.

 

Dois são imprescindíveis neste momento:

1 -  Aumentar o tão propalado calado do porto que hoje é de 9,4 metros em determinada área do canal de acesso, para 11 metros, profundidade essa que já permeia grande parte do canal. Este é um problema e uma reivindicação histórica, por isso pensava se tratar de um investimento até bilionário. Fiquei surpreso mais uma vez ao saber que com “apenas” R$ 50 milhões esse problema se resolve dentro de um prazo de 30 dias. Tive que confirmar mais de uma vez a informação com Gilmara, pois realmente custei a acreditar. R$ 50 milhões pode parecer muito dinheiro, mas se olharmos as listas de propinas da Odebrecht e da Friboi, teve senador que levou em malas, mais que o dobro disso. Todos os estudos para essa dragagem ser realizada já foram feitos pelo Porto, embora fosse responsabilidade do governo federal, mas numa tentativa de facilitar o tramite, a administração do Porto se adiantou e já tem tudo que precisa para viabilizar a operação. Só falta o dinheiro, que viria através de emendas parlamentares.

 

2 – A segunda medida é a inclusão do Porto de Cabedelo na lista de licitações para concessões para Parcerias Público Privado (PPPs). Com isso, dinheiro da iniciativa privada atracará no porto com muito mais facilidade. Mais uma vez, a administração do Porto de Cabedelo se adiantou e promoveu todos os estudos necessários. Uma gestão dos parlamentares junto ao Governo Federal, pode agilizar esse processo. Gilmara Timóteo garante que há demanda para isso e confidenciou o duelo de sentimentos que vive praticamente toda semana, quando é procurada por investidores interessados em empreender no Porto, o que a deixa feliz, mas a burocracia e a falta de apoio político, emperra esses avanços, o que a deixa frustrada.

 

Pois bem, já passou da hora de nossa bancada federal, sua maioria inclusive alinhada com o governo do Estado, aproveitar que tem alguém disposta a alavancar nosso Porto a outro patamar, e deixar de ignorar esse equipamento tão importante, diria até que indispensável, para o desenvolvimento do Estado.  

Fonte: Marcos Wéric

Compartilhar

Todos do comentários (0)

Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário



Publicidade

Enquete

A decisão do TSE de livrar Dilma e Temer da cassação foi:

Publicidade