• ‘Mistério’ da Diretória – Unimed-JP prejudicou usuários e Cooperados amargam prejuízos por decisão ilegal e injustificada

    Ainda é um mistério os motivos que levaram a Diretoria da Unimed-JP a romper unilateralmente o contrato que mantinha há 26 anos com a Ecoclínica, uma referência...

    Ainda é um mistério os motivos que levaram a Diretoria da Unimed-JP a romper unilateralmente o contrato que mantinha há 26 anos com a Ecoclínica, uma referência na Paraíba para diagnóstico por imagem. Por que insistir no Descredenciamento mesmo após a sentença do juiz em 30 de julho de 2015. Com os recursos protelatórios, os usuários foram prejudicados durante 8 meses.

     

    Aos usuários que perderam de forma repentina uma prestadora de serviço com mais de 30 anos de experiência e com qualidade comprovada. Nos dias atuais, a relação de confiança entre consumidor e a marca é essencial para qualquer negócio. Quando se fala em serviços de saúde, essa confiança é ainda mais importante para o consumidor, no caso, o usuário da Unimed-JP. Não se espante, pois, várias pessoas simplesmente se recusaram a procurar uma Nova clínica para realizar seus exames.

     

    E os cooperados, que arcaram com todos os custos da mudança injustificada e irresponsável, desde custas processuais, emissão e envio de comunicado do descredenciamento da Ecoclínica (que foi feito depois do ato em si) e ainda com propagandas que foram suspensas por determinação do Ministério Público. Imaginem quanto custa um comercial em horário nobre na Globo e nas rádios FM. Para se ter uma ideia, somente com Correios foram gastos quase R$ 100 mil.

     

    A pergunta que não quer calar foi feita por um dos sócios da Ecoclínica, Lavoisier Dias, cooperado da Unimed há 26 anos em carta enviada aos cooperados: Considerando que a Unimed nada tinha a ganhar, os usuários foram prejudicados e os cooperados ficaram no prejuízo. A quem interessou tudo isso?

    Fonte: Marcos Wéric

    Neste artigo




  • Participe da conversa