• Pacientes esperam desde janeiro um ressonância em João Pessoa, denuncia vereador

    O líder da bancada de oposição na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), vereador Leo Bezerra (PSB), usou seu pronunciamento, na sessão ordinária de ontem, (14), para...

    O líder da bancada de oposição na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), vereador Leo Bezerra (PSB), usou seu pronunciamento, na sessão ordinária de ontem, (14), para criticar a Saúde Pública Municipal. O parlamentar apontou falhas encontradas pela oposição em alguns pontos do setor pela Capital.

     

    Para Leo Bezerra, o secretário de saúde Adalberto Fulgêncio faltou com a verdade quando afirmou, em audiência, que o tempo de espera para a realização de ressonâncias magnéticas era de 30 a 60 dias. “Temos inúmeras requisições para a realização desse exame desde janeiro. É muito complicado fazer uma ressonância pelo Município de João Pessoa”, afirmou.

     

    O oposicionista também reclamou da situação de alguns Programas de Saúde da Família (PSF) que o vereador pôde verificar durante caravana da oposição. “Encontramos PSFs sucateados, jogado às traças, faltando médicos e medicamentos e o secretário diz que são problemas pontuais. Até quando vamos encontrar essas problemas pontuais?”, questionou.

     

    O vereador ainda ressaltou investigação do Ministério Público Eleitoral (MPE) sobre suposto crime eleitoral cometido pelo secretário de saúde ao pedir engajamento de possíveis servidores da saúde municipal nas campanhas Lucélio Cartaxo e de Zennedy Bezerra, pré-candidatos a governo do Estado e deputado estadual, respectivamente, pelo PV.

     

    “O secretário chamou os gerentes de saúde, profissionais do Samu, do Capes e da Prefeitura da Capital de cabos eleitorais qualificados. Peço ao secretário respeito à população de João Pessoa”, afirmou Leo Bezerra.

     

    O líder situacionista, vereador Milanez Neto (PTB), afirmou que a crise na área da saúde afeta o país inteiro. “Problemas na saúde pública existem e não são restritos a João Pessoa. Tenho escutado a crítica e trabalhando, pensando como podemos fazer melhor a saúde de João Pessoa”, afirmou.

     

    Nesse sentido, o vereador Bosquinho (PSC), elogiou a gestão, elencando avanços alcançados nas áreas de habitação, infraestrutura e educação no Município.

     

    Os vereadores Tibério Limeira (PSB), Humberto Pontes (Avante), Bruno Farias (PPS) e Marcos Henriques (PT) concordaram com o pronunciamento de Leo Bezerra. “Diante das recentes denúncias, já passou da hora de Adalberto Fulgêncio entregar o cargo para alguém que possa trabalhar pela saúde de João Pessoa”, sugeriu Tibério Limeira.

     

    Neste artigo

  • Participe da conversa